Sede

A Fundação D. João VI tem como sede uma das mais antigas construções de Nova Friburgo: o solar da família Clemente Pinto. Localizado na Praça Getúlio Vargas, nascedouro da história de Nova Friburgo, o prédio foi construído em 1843 para ser residência urbana de Antonio Clemente Pinto, futuro Barão de Nova Friburgo.

Anteriormente, o terreno (de 40,2 x 25 braças) era ocupado por uma casa de estilo colonial de número 25, que foi demolida em 1841, quando a propriedade foi aforada por Antonio Clemente Pinto, para dar lugar à edificação em estilo neoclássico, que perdura até os dias de hoje. A residência, projetada pelo engenheiro holandês Jacob van Erven, amigo e sócio de Antonio Clemente Pinto, tinha aos fundos um jardim que se estendia até a margem do rio Bengalas.

Sabemos que, com as mortes do Barão e da Baronesa de Nova Friburgo, a casa foi herdada pelo primogênito do casal, 1º Barão e Conde de São Clemente, Antonio Clemente Pinto. Posteriormente, serviu de residência para o 2º Barão de São Clemente.

O prédio foi vendido para a municipalidade e abrigou diversos órgãos administrativos ao longo do século XX: Prefeitura (1921-1969); Câmara Municipal (1922-2001); Biblioteca (1941-2001); Fórum e sala do júri (1938-1941); Cadeia (1938–1940), também depósito de materiais da prefeitura; Em maio de 1961, foi inaugurado o Porão das Artes, atual Centro de Artes; Abrigou também a Oficina Escola até o ano de 2013.

Atualmente o edifício segue sendo reformado, contudo sem deixar de servir aos seus propósitos culturais. Em 2016 a inauguração de uma de suas salas principais, possibilitou ao público o reencontro com a coleção de estátuas "Quatro Estações", recém recuperadas. Essa sala é uma pequena mostra do que poderá vir a ser, no futuro, o Museu do Solar do Barão.